Ouça a palavra  
  .:: IPB Cariru ::.
  Pastorais
Pastoral
do Batismo
 
 

O QUE É

É uma pastoral encarregada de evangelizar pais e padrinhos, com ênfase à catequese de adultos e não apenas voltada à preparação para o batismo, mostrando a responsabilidade cristã do Sacramento do Batismo na vida das pessoas que se propõem a seguir Cristo.

A palavra Batismo vem do grego, e significa “mergulhar”. Com o Batismo mergulhamos em uma nova realidade: a vida nova em Cristo.

Com três anos de caminhada, com novo Pároco, foi ampliada em quatro comunidades a preparação para o Batismo dos Pais e Padrinhos, no compromisso assumir com responsabilidade de Educar seus Filhos e Afilhados, ensinar, obedecer, escutar a voz de Deus. Jesus disse: Vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que ordenei a vocês. Eis que eu estarei com vocês todos os dias, até o fim do mundo. Mt 28,19-20”.

O Batismo é o Sacramento que nos coloca no caminho de Jesus, com Jesus e pela força do Espírito Santo chegamos a Deus Pai.

A preparação é realizada nos setores Bom Jardim, Esperança e Ideal por uma equipe de agentes que ajudam a evangelizar, e levar o conhecimento, sobre o que é o Batismo?

O Sacramento do Batismo é um dos mais procurados pelo povo brasileiro, 85%da nossa população é batizada.

E os batizados acontecem nos meses de fevereiro a dezembro às 08h30. No 2° domingo na Igreja da Comunidade Nossa Senhora Aparecida e no 4° domingo na igreja da Comunidade Atos dos Apóstolos.

Os membros da Equipe Paroquial da Pastoral do Batismo são os verdadeiros protagonistas juntamente com os pais e padrinhos para evangelizar, na missão que Jesus nos confiou.

OBJETIVOS

Ø Seguir as diretrizes canônicas e diocesanas, referentes ao Batismo.

Ø Preparar pais e padrinhos para o sacramento do Batismo de filhos e afilhados;

Ø Zelar para que o Batismo, buscado pelos pais, não seja negado às crianças cujos responsáveis sejam católicos pouco praticantes, mães ou pais solteiros e de casais em situações especiais, evitando a discriminação;

Ø Trabalhar junto à Pastoral Familiar, Catequética e SSVP com vistas à catequese de adultos e para solução de problemas;

Ø Proporcionar aos pais e padrinhos maior integração na comunidade;

Ø Cuidar para que a celebração do Batismo na comunidade seja sempre uma oportunidade de renovação do compromisso cristão, principalmente para os pais e padrinhos;

Ø Valorizar a celebração do Batismo no local de encontro da comunidade de fé e não em sítios, residências particulares, clubes, etc.;

Ø Orientar sobre a transferência do Batismo para outra comunidade, a ser dada pelo pároco;

Ø Prestar auxílio ao padre ou ao ministro do batismo, na celebração da cerimônia do batismo;

Ø Instruir pais de crianças acima de 7 anos, jovens e adultos que pedirem para si o Batismo e como procederem para prepararem-se para o recebimento do mesmo;

Ø Cuidar para que as pessoas da Pastoral do Batismo sejam bem preparadas para exercerem este ministério;

Ø Ministrar cursos, encontros e reuniões de aprofundamento, para os participantes da pastoral, para que estejam preparadas para esclarecerem dúvidas a respeito do sacramento do Batismo;

Ø Ampliar o número de agentes da Pastoral do Batismo;

HISTORICO

O BATISMO NA BÍBLIA

Não se pode entender o Novo Testamento, sem conhecer suas raízes no Antigo Testamento. O que existe Novo Testamento, por exemplo, o Batismo não foi inventado pelas primeiras Comunidades Cristãs. assim,na historia do povo de Deus, no Antigo Testamento, encontramos acontecimentos e pensamentos que ajudam a compreender melhor como o Novo Testamento interpretou o Batismo.

1. LIBERTADOS DA ESCRAVIDÃO PELAS ÁGUAS

A travessia do mar Vermelho marcou o inicio da libertação e da formação do povo de Deus Ex 14,29-31. Esta maravilha da saída do Egito é renovada pelo povo de Deus ao atravessar o rio Jordão para entrar na terra prometida (Josué 3,14-17).

A parti deste acontecimento---A travessia das Águas o povo de Deus fará uma leitura de toda a sua historia, desde as origens. Toda a historia do povo de Israel será marcada por este acontecimento.

2. O Universo nasce das águas pelo poder da palavra

A reflexão (sobre a criação do mundo Gn 1,1-10) nasce a partir do acontecimento do Êxodo: a travessia do mar Vermelho. Assim como,através das águas do mar Vermelho, Deus libertou e fez nascer o seu povo, assim desde o princípio, ele criou o universo, a partir das águas, pelo poder de sua palavra.


O Dilúvio é lembrado como a recriação do mundo. È uma nova criação que surge através das águas (Gn 7,17-24.9,1-7). Assim, o elemento Água será muito usado em toda a historia do povo de Israel. Em sua organização Israel usa também a água como sinal de purificação: Passar pelas águas profundas será sempre sinal de pertença ao povo da Aliança ou de volta para Deus. Os membros da comunidade que caírem em qualquer falha, que os afaste do resto do povo, devem purificar-se nas águas (Lv14, 8-15; Nm 19,19). Pra cruzar-se, Naamã, o sírio, será convidado a purificar-se sete vezes nas águas do Jordão (2Rs 5,8-14).

Água também está presente fortemente na pregação dos profetas. No tempo do Exílio, eles usam como símbolo a água para anunciar a vida nova que Javé dará ao seu povo, uma vez arrependido de seus pecados.

Jeremias 31,9: Deus renovará pela água o íntimo de cada um, então haverá ima nova Aliança (Jr 31,31-34)

Ezequiel 36,25:A água que purifica e transforma o coração do homem.

Ezequiel 47,A água abundante e transformadora.

Isaias 43,16-20:A volta do exílio será novo Êxodo.

Isaias 48,20:Deus dará água como outrora no deserto.

Isaias 44,1-5 Renovação interior pelo Espírito Santo,simbolizado pela água.Deus muda o coração do homem.

No Antigo Testamento, muitas vezes os profetas falam da água como sinal da esperança de que um dia, através das águas, Deus irá criar e renovar definitivamente o seu povo. Ez: (36,25-32)

O BATISMO NA PALESTINA NA ÉPOCA DE JESUS

O Batismo não é uma invenção das primeiras comunidades cristã. Já na palestina, no tempo de Jesus,havia alguns tipo de Batismo.

O Batismo dos prosélitos


Prosélitos era o pagão que se aproximava do povo de Deus para fazer parte. Ele devia aceitar a circuncisão e passar por uma cerimônia de purificação “mergulhado nas águas” uma espécie de Batismo. Esse Batismo era um rito de iniciação que indicava a passagem do pagão para entrar no povo de Deus. Os Fariseus procuravam fazer prosélitos a qualquer custo”Mt 23,15” Era um Batismo de purificação.


O Batismo dos Essênios


Era um grupo de judeus que, desiludidos pelo andamento da sociedade, retiravam para o deserto. Lá eles viviam entre si, totalmente afastados do resto da população. Esperavam a vinda do Messias. Para isso se preparavam, purificando diariamente. Para simbolizar esta preparação, eles costumavam banhar-se como prova da pureza do seu coração. Este tipo de Batismo era feito constantemente, embora não tornasse a pessoa pura.

O Batismo de João, o Batista

A Palestina, na época de Jesus vivia numa situação de opressão sob o domínio do Império Romano. Por isso se tornou mais viva a esperança num Messias “enviado de Deus”que haveria de transformar por completo essa situação. Para preparar a vinda do Messias, surgiram numerosos grupos batistas. Entre eles, o mais conhecido, é o grupo de João, o Batista.

O Sentido do Batismo de João era de preparação do caminho para a vinda do Messias “Mt 3,10”Era sinal de conversão” Mc 1,4” e gesto profético que exigia uma mudança de vida” Lc 3,7-14” O Batismo de João era dado uma só vez a qualquer pessoa que se convertesse. Era sinal de engajamento, com a vinda do Messias.

Os Evangelhos Sinóticos “ Mateus,Marcos e Lucas”

O Batismo de Jesus por João Batista
Mt 3,13-17
Mc 1,9-11
Lc 3,21-22

O anuncio do Batismo em Cristo

Jesus anuncia um outro Batismo, que vai além do Batismo de João Batista.

Marcos 10,35-40: O Batismo significa passar da morte para vida, deixar para traz a ideologia dominante do poder e entrar no mundo do serviço.

Lucas: 12,49-50: Significa a passagem para o mundo novo de Cristo. Este mundo novo exige nova opção que vai criar divisões e desentendimentos.

No Novo Testamento o Batismo, como todos Sacramentos tem o sentido de atualizar a Morte e Ressurreição de Cristo, na vida de quem recebe.

A Ordem do Ressuscitado:

Mc 16,15-16: Jesus ordena a seus discípulos “Ide pelo mundo inteiro “Proclamar a Boa Nova, provocar a fé e batizar todos os que crerem.

Mt 28,18-20: Da mesma maneira, Jesus ordena a seus discípulos: ”Ide e Fazei que todos se tornem discípulos, batizando-os em nome da Santíssima Trindade e ensinado-os” Esta ordem de Jesus é universal porque o Batismo é para todos aqueles que aceitam o convite da a Boa Nova.

O Batismo no Evangelho de João


Os principais trechos do Evangelho de João que se referem ao Batismo São:
João: 3,1-21
João: 5,1-18
João: 9,1-41

O Batismo nas cartas de São Paulo

Nas cartas de São Paulo encontramos muitas referencias ao Batismo:
Efésios: 4,5.24, Romanos: 6,3-11:8,1-17 10,1, Gálatas: 2,12, Gálatas: 3,26-28, Gálatas: 5,16-24, Hebreus: 6,4-6 e Hebreus: 10,32-36: O Batismo é um banho purificador que nos faz passar para uma novidade de vida. È preciso perseverar com Firmeza.

E O Batismo das Crianças

Mateus: 19,13-15”
Quando o Pai se convertia, recebia o Batismo, ele e toda a sua casa “At. 10,43;18,8”
Os recém-nascidos de um casal Cristão são “Santos”(I Cor 7,14) isto é, são considerados como membro do povo de Deus.

A Fé para o Batismo pode ser a fé dos que pedem o Batismo para outra pessoa, no caso, a fé dos pais em nome dos filhos. Jesus atendeu muitas vezes a fé de uma Mãe ou um Pai em favor do filho ou filha: Jairo para sua filha”Lc 8,40”a mãe Siro-fenícia “Mc “Mc7,24-30” Pai para o filho possesso “Lc 9,37”

Não há dois Batismos: Uma só Fé, uma só Esperança, um só Batismo.

ORIENTAÇÕES

Diocese de Itabira Cel. Fabriciano - Paróquia São Geraldo Região 3: Antônio Dias, Marliéria, Jaguaraçu, Timóteo, Cel. Fabriciano, Ipatinga, Santana do Paraíso, Mesquita e Belo Oriente

Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil

1) A celebração dos sacramentos deve favorecer a evangelização e a catequese do povo de Deus, superando o ritualismo e os hábitos apenas devocionais e jurídicos de sua recepção. (DGAE 2003-2006; 32).

2) A pastoral sacramental de fato, não se dirige apenas aos católicos praticantes, que têm um bom conhecimento da doutrina da Igreja, participam assiduamente da liturgia e mesmo em muitos casos, dão uma contribuição ativa à evangelização e ao trabalho pastoral. A pastoral sacramental deve, também, cuidar do grande número de católicos que desejam manter algum vínculo com a Igreja, especialmente em certas ocasiões: matrimônio, batismo e primeira comunhão dos filhos, exéquias ou missa pelos defuntos da família. (DGAE 2003-2006; 36).

3) Muitos destes católicos pouco praticantes, por razões diferentes, não conhecem, não aceitam ou não se sentem motivados para abraçar formas mais complexa da vida da Igreja. Entretanto, pedem os sacramentos, mesmo com motivações que, hoje parecem incompletas ou insatisfatórias, às vezes fruto de antigos esforços de evangelização e catequese. Isto torna estas pessoas dispostas a algum diálogo pastoral, mesmo se pouco disponíveis a um empenho maior. Estas ocasiões de encontro e de diálogo não devem ser desprezadas ou subestimadas. Toda pessoa que procura a Igreja deve ser acolhida com simpatia. Particular atenção deve ser dada aos jovens e adultos que pedem o batismo, para o qual devem ser preparados segundo as indicações do rito próprio. (DGAE 2003-2006; 34).

4) Não devemos impor a todos, de forma indiscriminada, idênticas exigências, quando na realidade as pessoas são diversas e os graus de proximidade com a vida eclesial são muito diferentes. Também “não se pode exigir dos adultos de boa vontade aquilo para o qual não lhes foi dada adequada motivação”. Por isso, os pastores, com à ajuda de ministros leigos e equipes pastorais, devem procurar o diálogo pastoral, considerando cada caso segundo suas exigências específicas. Mesmo se o diálogo levar à conclusão de que a pessoa não tem condições de ser admitida ao sacramento, ela deve sair do encontro sentindo que foi acolhida e escutada e que poderá voltar, quando mais disposta a assumir os compromissos da fé cristã. (DGAE 2003-2006; 35).

5) A comunidade eclesial deve sentir-se responsável pela evangelização de todos. Para isto, a participação nas celebrações litúrgicas e na vida sacramental é muito importante. Deve, também, acolher com atenção e discernimento a religiosidade popular. A veneração à Maria Santíssima, modelo dos discípulos e discípulas, dos santos e santas, seguidores de Jesus, aproxima-nos também de Cristo e mantêm aberta no coração das pessoas, especialmente das mais pobres, a procura do Deus verdadeiro, Deus conosco.

Obs. Esses critérios servem para todos, evitando discriminações em relação aos filhos de mães solteiras e de casais em situações especiais.

Normas Diocesanas

A celebração do batismo na comunidade seja sempre uma oportunidade de renovação do compromisso cristão para todos os que dela participam, principalmente para os pais e padrinhos.

A celebração do batismo se realize no local de encontro da comunidade de fé e não em casas particulares, sítios, clubes, fazendas, etc. Haja nas paróquias uma intensa conscientização quanto ao sentido do batismo na própria comunidade. A transferência deve ser dada pelo pároco por escrito.

Para o batismo de menores de 07 anos, sejam os pais e padrinhos devidamente preparados. Que em nenhuma paróquia se batize sem preparação.

Crianças acima de 07 anos sejam devidamente preparadas, orientando-as para uma participação eclesial. Com mais razão, os jovens e adultos. O batismo de jovens e adultos seja revestido de particular solenidade. Tanto quanto possível, procurem - se restaurar as etapas de iniciação, próprias do começo do Cristianismo. Admissão, preparação e celebração com pedido do próprio candidato. As pessoas responsáveis pela preparação para o batismo sejam bem formadas para este ministério.

Os encontros de preparação não sejam mera formalidade. Não se justifica uma preparação apenas na ante-hora do batismo.

Para a celebração do batismo de menores de 15 anos, seja exigida a presença dos pais ou responsáveis. O batismo de adultos, para efeito de celebração do matrimônio, só seja aceito quando houver uma opção bastante consciente pela fé cristã e com a devida preparação que se exige para qualquer adulto que deseja o batismo.

No caso de pessoas advindas de outras Igrejas Cristãs, sigam-se os critérios de validade do batismo, admitidos pela Igreja Católica. As comunidades sejam devidamente preparadas e orientadas quanto ao batismo de emergência.

De acordo com o Código de Direito Canônico, são as seguintes as condições para ser padrinho ou madrinha: ter 16 anos completos, ser católico, confirmado, ter recebido a Eucaristia e levar uma vida de acordo com a fé católica e a missão que vai assumir.

Os livros de registro de batismo estejam sempre atualizados, também quanto às anotações de casamento, ordem sacra e profissão religiosa perpétua realizados. Que os termos lavrados sejam assinados pelo pároco ou administrador paroquial.

A consagração da criança seja feita fora da celebração do batismo, visando ao crescimento e à participação da criança e da família na comunidade. Ex. Festa de Nossa Senhora.

Evite-se batizar crianças, antes de serem registradas no Cartório.

Normas Regionais

Quanto à preparação: – Mínimo exigido – 3 horas de duração

A preparação pode ser feita antes do nascimento da criança.

Entre as Paróquias da Regional 3, o comprovante do Curso de Preparação para o Batismo vale como transferência.

Para fazer a inscrição para o Sacramento do Batismo devem ser levados, o comprovante do curso dos pais e dos padrinhos e a certidão de nascimento da criança. No dia do Batizado é indispensável a presença dos pais ou responsáveis pela criança. Caso o sacramento seja ministrado por ministros extraordinários do Batismo, estes devem receber a ordem do bispo, serem bem preparados, dar testemunho de fé em suas comunidades e exercerem seu ministério em virtude do sacerdócio comum dos fiéis que recebemos no próprio Batismo.

Na medida do possível os padrinhos e madrinhas devem fazer a preparação na Paróquia onde moram. Os membros das equipes da Pastoral do Batismo, em parceria com outras pastorais catequéticas, devem fazer visitas para evangelização e sensibilização dos pais em situações especiais, que buscam o batismo para seus filhos, para conscientizarem de suas reais responsabilidades cristãs.

Deve ser dada grande importância quanto ao compromisso com o dízimo, destacando como uma oferta livre e consciente, porém um dever bíblico de todo cristão, a ser mais valorizado do que as simples espórtulas.

- PERFIS DOS AGENTES DE PASTORAL -

1. Tenham recebido os sacramentos de iniciação cristã e sejam comprometidos com a comunidade,

2. Comprometimento com o Projeto de Evangelização da Igreja Católica,

3. Sejam testemunhas de vida comunitária e capazes de trabalhar em equipe.

– PROPOSTAS PARA 2009 –

Ø Reunir periodicamente para reestruturar os encontros de preparação para o Batismo;

Ø Participar (membros da pastoral) das cerimônias do Batismo durante as missas;

Ø Realizar encontros de formação (um por semestre);

Ø Promover entrosamento efetivo e afetivo com as demais pastorais catequéticas, definindo os pontos comuns e como podem ser estabelecidas parcerias;

Ø Participar das reuniões de CPC e CPP;

– PROPOSTAS PARA 2010 –

1. Inscrições para os Cursos de Batismo – a serem feitas na secretaria da paróquia ( em ficha específica ) nos meses de fevereiro, abril, junho, agosto e outubro.

2. Realização dos encontros – nos meses de março, maio, julho, setembro e novembro, nas casas dos agentes, nas casas dos pais e padrinhos ou nos centros de pastoral, de acordo com a conveniência.

1º encontro – duração de 1h 30min - no CPJPII – na 1ª semana dos meses indicados para o curso, com participação especial do pároco.

2º, 3º e 4º encontros – duração de 1h 30min – no Bom Jardim, Esperança e Ideal – na 2ª, 3ª e 4ª semanas dos meses indicados para o curso.

3. Temas para os encontros de pais e padrinhos

1º - Dignidade da pessoa humana - Responsabilidade missionária dos pais e padrinhos.

2º - Os sacramentos – Sacramento do Batismo.

3º - A Igreja Católica – Bíblia – Orações.

4º - Ritos e Símbolos– Celebração do batismo – Recomendações Gerais

4. Temas para os encontros de formação de agentes

1º - Dignidade da pessoa humana - Relações Interpessoais.

2º - Fundamentação Bíblica e Teológica do Batismo.

3º - Sacramentos – Sacramento do Batismo.

4º - Normas sobre o Batismo – Da Ação Evangelizadora – Diocesanas Regionais e Paroquiais.

5. Validade do Curso de Preparação dos pais e padrinhos - 2 anos -

Observações:

1. Apenas será expedido o comprovante de participação, após os pais e padrinhos terem freqüentado todos os quatro encontros, mesmo que sejam em outras comunidades. Neste caso a pastoral expedirá comprovante (modelo próprio) da participação no encontro específico, a ser encaminhada para a comunidade que ministrou os demais encontros.

2. Os agentes da Pastoral do Batismo, que tiverem suas presenças registradas nos quatro encontros, mesmo que em épocas diferentes, poderão obter o comprovante de participação, quando precisarem batizar filhos ou serem padrinhos.

3. Os encontros serão realizados em datas diferentes, para atender às particularidades dos participantes.

4. A pastoral divulgará seu novo jeito de caminhar, nos CPP, CPC e reuniões de liturgia de dezembro/ 09

5. Durante todo mês de janeiro/2010 em todas as comunidades serão dados os avisos sobre as mudanças.

REUNIÕES:

Não tem datas fixas. Acontecem de acordo com a preparação dos cursos pelos agentes.

· Comunidade Atos dos Apóstolos: Maria das Neves P. R. Lima (Nevinha) e Graciela Santos Joana F. de Oliveira

· Comunidade Santo Antônio: Maria Alice

 
     
  CARTILHA PREPARAÇÃO PARA O BATISMO
(Devido o conteúdo ser extenso demais, estamos disponibilizando o arquivo para download)


CÓDIGO DE DIREITO CANÔNICO
(Devido o conteúdo ser extenso demais, estamos disponibilizando o arquivo para download)


ESCALA DE BATISMO DAS COMUNIDADES DA P.S.G.
(Devido o conteúdo ser extenso demais, estamos disponibilizando o arquivo para download)


 
 
  Perdeu alguma matéria ou reportagem ? Precisa efetuar uma pesquisa sobre um determinado assunto ? Então faça uma busca aqui em nosso site
 
 
 

 

 
 

Missa do Sacramento da Crisma
A cerimônia foi presidida pelo bispo emérito da Diocese de Itabira-Cel. Fabriciano, Dom Odilon Guimarães Moreira.

 


Grupo Fé e Vida elege nova coordenação
O Grupo Fé e Vida é parte integrante do Movimento Fé e Política da Igreja Católica

 


Padre José Geraldo fundamenta tema e lema na Assembléia Diocesana
“Povo de Deus construindo Comunhão” e o lema “Igreja em Missão

 


Celebração de Finados
"Nós cremos na vida eterna".

 


Bíblia na Catequese: Comunidade Nossa Senhora das Graças
Ide e anunciai a todos os povos e nações!!!

 


Festa de São Geraldo e 53 anos da Comunidade São Geraldo
Foram três dias em preparação para festejar o dia de São Geraldo

 


 
     
 
Paróquia São Geraldo

Av das Flores, nº 885 - Bairro Bom Jardim - Ipatinga/MG
Telefone / Fax: (31) 3826 5213 / 3825 7195