Ouça a palavra  
  .:: IPB Cariru ::.
  Pastorais
Pastoral da Catequese
 
 

Pastoral da Catequese 

Uma catequese permanente

A catequese é um processo contínuo na educação da fé, acompanhando as pessoas em todas as fases da vida; 

Destacamos duas razões que fazem da catequese um processo permanente. Primeiro, porque a catequese acompanha a pedagogia de Deus que se revela no dia-a-dia de pessoas que vivem em comunidade. Essa revelação é progressiva e, por isso, a formação cristã se prolonga por toda a vida passando pela infância, adolescência e juventude até chegar ao mundo dos adultos e idosos. Em segundo lugar, como lembra o Diretório Nacional de Catequese, “a evangelização implica não apenas o anúncio do Evangelho por palavras, mas também a vida e ação da Igreja”, envolve os gestos sacramentais, mas também a promoção da justiça e da libertação, “como acontecimento no mundo, dentro do qual Deus continua sua obra salvífica” (DNC, 30). Sendo um processo contínuo, devemos valorizar todas as iniciativas que aperfeiçoam e prolongam a formação do cristão. 

A catequese é, portanto, todo o processo de iniciação à vida de fé. Inclui o crescimento na santidade pessoal e a inserção na comunidade à luz da palavra de Jesus. Não devemos reduzir a catequese ao aspecto doutrinal do conhecimento do projeto de Jesus. É mais. Trata-se de experimentar a alegria do encontro com Cristo pela fé e aprofundar como a liberdade humana é iluminada pelo Evangelho e se fortalece pela graça divina para neste mundo aprendermos a amar como Jesus amou. Fruto da catequese é a vivência da palavra e dos sacramentos, é a alegria do seguimento pleno do projeto de Jesus que, pela força do Espírito, leva-nos a confiar nosso futuro ao Pai e a viver o mandamento do amor fraterno. Diz o documento que a finalidade da catequese é a “maturidade da Fé, num compromisso pessoal e comunitário de libertação integral” (CATEQUESE RENOVADA 318).

Uma catequese evangelizadora 

Da catequese, assim assumida, nasce a ação evangelizadora mais ampla: o serviço aos necessitados, o diálogo com o mundo, a denúncia e ação profética e o zelo em anunciar os valores do Reino. Reencontramos, assim, as exigências da vida cristã: o testemunho de vida , a prática da partilha e do perdão, o anúncio do Reino definitivo que nos conduz ao diálogo aberto e fraterno com todos, ao serviço solidário na promoção da justiça e da paz. 

No meio da sociedade tão alterada pelo individualismo, pelo descontrole do prazer, pela ambição, Jesus Cristo continua convocando os jovens de hoje para oferecer a todos os verdadeiros valores. Aos jovens cabe, mais do que nunca, a missão de serem “catequistas” nos ambientes em que vivem, manifestando pelo exemplo a alegria do seguimento de Jesus. É preciso anunciar, pela própria vida feliz, a beleza do amor gratuito, do desapego e da partilha, da reconciliação e da esperança em Cristo Ressuscitado

COORDENAÇÃO PAROQUIAL

COMUNIDADE

COORDENAÇÃO

EMAIL

São Francisco

Gilma Maria de Souza

neubaner@gmail.com

São Geraldo

Maria da Conceição Soares Toledo

conceic03@hotmail.com

COORDENAÇÃO COMUNITÁRIA

COMUNIDADE

COORDENADOR/A

EMAIL

Maria de Nazaré

Valéria Cristina Nepomuceno O. Fernandes

Não Tem

Maria de Nazaré

Marilza Gomes Costa Henrique

marilzagch@hotmail.com

N. Sra. Aparecida

Maria da Penha Santana

penhasantana1@gmail.com

N. Sra. Aparecida

Daiane Cristina Justo Sobrinho

daiajust@hotmail.com

Sagrada Família

Selma Araújo Fernandes

Não Tem

Sagrada Família

Sandra Maria de Oliveira Lima

Não Tem

São Sebastião

Maria de Lourdes

Não Tem

São Geraldo

Leonice Cardoso dos Santos Rocha

leonicecsr@hotmail.com

São Geraldo

Neuclair Aparecida Moreira Leão

neuclair42@hotmail.com

São José

Vílton Cantarino Silva

viltonsilva@oi.com.br

São José

Layza Karolina Nascimento Melo

 

N.Sra. das Graças

Cleonice Alves Pereira

cleonice-22@hotmail.com

N. Sra. das Graças

Cleuzenir Aparecida Pereira

cleuzenir-pereira@hotmail.com

São João Batista

Adélia Lino Pereira

Não Tem

São João Batista

Gladstone Lincoln Lopes de Souza

 

São Francisco

Patrícia Gomes dos Santos

pattyewister@hotmail.com

Atos dos Apóstolos

Maria de Lourdes Moreira Silva

demetriusilva@hotmail.com

Atos dos Apóstolos

Cleiton Marcos de Almeida

cleitonmarcos@yahoo.com.br

Santo Antônio

Juliana Silva Mendes de Freitas

Não Tem

Santo Antônio

Lúcia Aparecida de Castro

l-a.castro@ig.com.br

EQUIPE PAROQUIAL DE ANIMAÇÃO CATEQUÉTICA ( EPAC)

Etapa

Coordenadores de Etapa

Email

Elisângela Aparecida Vidal

vidal.elisangela@ig.com.br

Eluisa Franco de Morais

eluisafranco@hotmail.com

 

Márcia Maria da Silva

marcia.ufop@gmail.com

Zely Maria Ferreira Souza

zelyferreirasouza@gmail.com

 

Cenire Medeiros

ceniremedeiros@yahoo.com

Leila Maria Biciate Alvim

lmbalvim@hotmail.com

Nayla Luiza do Nascimento Melo

nayla_luiza@hotmail.com

 

Letícia

bastosle@yahoo.com.br

Gilma Maria de Souza

neubaner@gmail.com

Gilda Maria do Rosario e Souza

gildarsouza@yahoo.com.br

Denilza Madalena Ferreira

denilzamf@gmail.com

 

Natália Cristina de Oliveira Souza

nahscimento_84@hotmail.com

Ana Correia

 

Vanilde Delfino C. Marinho

vanildemarinho@gmail.com

 

Ana Cláudia

 

Maria da Conceição Soares Toledo

conceic03@hotmail.com

Catecumenato

Rita de Cássia

ritinha.csa@hotmail.com

Gilda Maria do Rosario e Souza

gildarsouza@yahoo.com.br

Pós Crisma

Maria da Conceição Soares Toledo

conceic03@hotmail.com

En. de Pais

Adelaide dos Santos Firmino

chefede37@hotmail.com

Adriana Aparecida

adrianaafelizsouza@ig.com.br

 

HISTÓRIA

Caminhos da Catequese

 

Catequese é o ensinamento essencial da fé, não apenas da doutrina, como também da vida, levando a uma consciente e ativa participação do mistério litúrgico irradiando uma ação apostólica.

 

Segundo os Bispos do Brasil, a Catequese é um processo de educação da fé em comunidade, é dinâmica, é sistemática e permanente.

 

 Em comunidade porque é algo que vai se realizando aos poucos, num caminhar na comunidade, em busca de uma sociedade fraterna e justa.

 

 A Catequese é dinâmica porque está sempre atenta ás situações históricas e sociais da nossa realidade.

 

 A Catequese é sistemática porque organiza uma programação para facilitar o conhecimento das verdades da fé, da Palavra de Deus e dos ensinamentos da Igreja.

 

A Catequese é permanente porque passa por todas as etapas e por todas as faixas de idade, ou seja, é por toda a vida.

 

Pensando sempre desta forma nós que hoje somos Paróquia São Geraldo , acompanhados sempre pela igreja buscamos um amadurecimento maior dos nossos catequizandos ao receberem o sacramento da Eucaristia, promovendo uma permanência das crianças na catequese de uma maneira mais acompanhada, para buscarmos vivenciar os sacramentos recebidos . Sendo assim:

 

• Até o ano de 1992 tínhamos 05 Etapas e ao final da 5ª Etapa (entre 11 e 12 anos) a criança estando em condições recebia o sacramento da Eucaristia (Sua Primeira Comunhão). Neste ano de 1992 escolheu-se os temas centrais das etapas de maneira que no ano seguinte estaríamos inserindo a 6ª ETAPA

 

• Em 1993 , aconteceu a primeira turma de 6ª ETAPA que havia recebido o sacramento da eucaristia no ano anterior. Já trouxemos também os grupos de adolescentes (Pastoral do Adolescente ) que hoje representaria para nós a 7ª ETAPA, e já definiu-se os temas centrais da futura 8ª ETAPA (IGREJA E PASTORAIS) e o da 9ª ETAPA (PASTORAL DA JUVENTUDE). Ressaltando que as etapas maiores eram assumidas inicialmente não pela catequese e sim pela Pastoral da Juventude.

 

• Em 1994 tivemos a primeira turma de 8ª ETAPA e neste ano também foi incorporado à catequese o CATECUMENATO em 02 anos.

 

• Em 1995 tivemos a primeira turma de 9ª ETAPA sendo que ao final deste ano, com muita alegria e satisfação foi realizada a primeira Crisma da turma desta então catequese permanente .

 

Hoje em nossa Paróquia possuímos 9 ETAPAS , que são distribuídas da seguinte maneira:

 

1ª a 5ª Etapa: Preparando-se para o Sacramento da EUCARISTIA

 

6ª a 9ª Etapa: Preparando-se para o Sacramento da CRISMA

 

Catecumenato: Catequese com adultos preparando para o Sacramento da CRISMA

 

Trabalhamos também a Catequese com os pais (com encontros mensais ).

 

Nossa catequese possui suas Normas e cada etapa possui um Tema Central .Todos os temas são repassados primeiramente para os Catequistas em um encontro mensal realizado sempre no Primeiro Domingo, onde eles irão receber o conteúdo do que será trabalhado com os catequizandos no decorrer do mês seguindo um Planejamento Anual.

 

Oxalá possamos todos e todas reacender esta paixão pela catequese, investindo no que temos de melhor em pessoas, em instrumentos de trabalho e em recursos financeiros, como nos lembrava o Papa João Paulo II, no início do seu Ministério petrino (cfr. CT 63). Que a catequese não fique somente preocupada em transmitir doutrinas ou uma moral, mas que ela ajude a encontrar Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida, construindo o Reino de justiça e de solidariedade sonhado por Ele, e pelo qual deu a sua vida.

PROJETO

A integração entre as Pastorais só será possível se houver, da parte dos envolvidos na proposta de PASTORAL ORGÂNICA , real interesse pelo trabalho de parceria. Não basta a vontade do bispo, do pároco e das lideranças da comunidade. Tampouco é suficiente que os coordenadores em questão queiram a integração. A integração precisa ser desejada por todos os membros ou ao menos, pela maioria. Portanto, antes de pensar na integração, faz-se necessário um trabalho de conscientização e de motivação sobre sua importância com os envolvidos na proposta. É pensando nisto que a Catequese busca parcerias em diversos projetos, estaremos aqui sempre conhecendo alguns deles.

 

::  Catequese e Pastoral da Juventude

 

A estrutura e organização da Catequese que hoje está presente na maioria das Paróquias de nossa Diocese de Itabira-Cel.Fabriciano, acompanha as crianças e adolescentes até a idade ente 14 e 15 anos. Após esse tempo, muitos adolescentes ficam pelo caminho e não se inserem em nenhum outro trabalho pastoral próprio para a idade deles. Ao receberem o sacramento da Crisma o jovem precisa vivenciar este sacramento, ele precisa buscar seu amadurecimento , pensando nisto nós da Paroquial São Geraldo, Catequese e Pastoral da Juventude, junto com Orlando Velozo Júnior que é o assessor da Pastoral da Juventude elaboramos um projeto de formação e acompanhamento de grupos de jovens através da catequese que foi implementado em nossa Paróquia no ano de 2006, e a cada ano iremos sempre realizá-lo.

 

::  Catequese e Pastoral Familiar

 

Considerando as constantes mudanças que vivem o ser humano neste período pós moderno, torna-se necessária cada vez mais, uma educação permanente da fé, da vida e prática cristã.

 

A catequese enfrenta grandes problemas por causa dos exemplos que os catequizandos têm em casa, principalmente quando os pais não se interessam pela religião. Algumas poucas famílias acompanham com interesse a preparação dos filhos para a Primeira Eucaristia ou para a Crisma. Outras não participam de tal preparação que chegam, com a falta de testemunho de vida familiar e cristã, a tornar estéril o trabalho dos catequistas.

 

Assim, a proposta deste projeto é desenvolver um trabalho articulado entre a Pastoral Familiar e a Pastoral Catequética, no sentido de ajudar as famílias dos catequizandos a se interessarem e envolver no processo de educação da fé dos filhos e filhas na catequese, incutindo nelas a mentalidade de sacramentos vinculados a uma formação cristã permanente. Com este projeto estamos conseguindo avançar muito no Acolhimento aos pais dos catequizandos .

               

             NORMAS E ORIENTAÇÕES:

NORMAS DA PASTORAL CATEQUÉTICA

Normas atualizadas conforme decisões da Assembléia Paroquial da Pastoral Catequética realizada em outubro / 2007.

 

CAPÍTULO I – DOS CATEQUIZANDOS

 

1) “A ação da Igreja tem por objetivo ser formadora da fé de seus membros. A catequese é, por isso, uma dimensão indispensável na vida da Igreja. Em nossa Diocese a catequese é prioridade absoluta em todos os níveis: crianças, adolescentes, jovens e adultos. É missão principal da comunidade”. (Livro da Caminhada, nº 44).

 

ARTIGO PRIMEIRO – DA CATEQUESE DE INICIAÇÃO CRISTÃ

 

2) As etapas de iniciação se fazem em torno dos sacramentos de iniciação cristã (batismo, eucaristia e confirmação). Não significa uma simples preparação para a celebração dos sacramentos, e sim, entrada e crescimento na vida batismal e eucarística. A iniciação é uma categoria própria na vida de qualquer grupo e têm exigências progressivas, tanto para as pessoas que estão sendo inseridas, como para a comunidade que acolhe os iniciantes. (Cf. Livro da Caminhada, nº 49).

§ 1º. A idade mínima para a criança ser acolhida na catequese é de 07 (sete) anos completos  ou que irá completar até o mês de Junho do ano da inscrição.

§ 2º. Considerando que o catequizando participe de pelo menos 03 (três) anos antes da Primeira Eucaristia, quem não fez as 1ª e 2ª etapas, deverá começar na 3ª, tendo 09 (nove) anos completos ou que irá completar até o mês de Junho do ano da inscrição, bem como as que já completaram 10 (dez) e 11 (onze) anos, deverá começar na 3ª etapa. E a criança com 12 (doze) anos deverá começar na 6ª Etapa.

Os adolescentes entre 13 (treze) e 15 (quinze) anos completos ou que serão completados até o mês de junho do ano de inscrição, tendo participado ou não da 1ª fase da catequese (1ª a 5ª etapa), ingressarão na 7ª etapa. Os que estão entre 16 (dezesseis) e 17 (dezessete) anos, poderão ir para a 7ª etapa ou esperarem completar 18 (dezoito) anos para se inscreverem no Catecumenato.

 

§ 3º. Os padrinhos dos catequizandos de 9ª etapa e do Catecumenato deverão participar de um aprofundamento sobre os Sacramentos de Iniciação Cristã a ser promovido pela Coordenação Paroquial da Catequese, com validade para 2 anos.

§ 4º. Os desenhos das camisas para a 1ª eucaristia bem como da crisma, serão previamente escolhidos através de concurso realizado entre os catequizandos e catequistas da 5ª (1ª eucaristia), 9ª e Catecumenato (crisma) com regras definidas pela Coordenação Paroquial da Catequese.

§ 5º. Os catequizandos que irão preparar para receber a primeira eucaristia e crisma, deverão ser apresentados na comunidade durante o mês de Maio.

 

3) Os sacramentos da Penitência e Eucaristia não podem acontecer antes do Batismo.

 

ARTIGO SEGUNDO – DO CATECUMENATO

 

5) Dá-se o nome de Catecumenato ao período de 01 (um) ano de preparação para a recepção do Sacramento da Confirmação para o Batismo e a Primeira Eucaristia, (caso não tenham sido recebidos), que são oferecidos fora das nove etapas, para as pessoas que estejam acima de 18 (dezoito) anos.

§ 1º. O Catecumenato tem como objetivo de atender àquela pessoa que não passou pelo processo catequético da 1ª a 9ª etapas e que após completar 18 (dezoito) anos, sentir necessidade de assumir, de fato, o compromisso cristão. Esta poderá se inscrever para a preparação do Sacramento da Confirmação (Crisma) que tem a duração de 01 (um) ano.

§ 2º. Só poderão se inscrever pessoas que tenham 18 (dezoito) anos ou mais, ou que irão completar 18 anos até o mês de junho do ano da inscrição.

 

ARTIGO TERCEIRO – DA FREQÜENCIA

 

6) A Pastoral Catequética da Paróquia São Geraldo possui conteúdo sistematizado que atinge várias etapas da catequese permanente de forma gradativa; por isto, exige-se do catequizando a freqüência mínima de 75% dos encontros anuais.

§ 1º. O número de faltas toleráveis para os catequizandos da 3ª etapa ao Catecumenato é de 25% do total de encontros por ano, os catequizandos que tiverem um número de faltas superior durante o ano, deverão repetir novamente a etapa.

 

ARTIGO QUARTO – DA TRANSFERÊNCIA

 

7) A transferência dos catequizandos se dará da seguinte forma:

§ 1º. De uma comunidade para outra mediante formulário fornecido e assinado pelo coordenador da comunidade de origem, constando o número de faltas, etapas concluídas, a atual e o motivo da transferência.

§ 2º. De uma Paróquia para outra deverá ser pedida e ou recebida pelo Padre que assessora a Pastoral Catequética ou Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética.

 

ARTIGO QUINTO – DAS RENOVAÇÕES DE INSCRIÇÕES E INSCRIÇÕES DE NOVOS CATEQUIZANDOS

8) As renovações das inscrições dos catequizandos que já estão na Catequese serão automáticas mediante a assinatura dos pais e acontecerão a partir de novembro

 

9) As inscrições de catequizandos que irão ingressar na Catequese acontecerão de janeiro a fevereiro nas comunidades da Paróquia.

§ 1º.  A contribuição para renovação ou inscrição de catequizandos será repassada para a Comissão Financeira da comunidade.

 

CAPÍTULO II – DOS CATEQUISTAS

 

10) “A vocação do leigo à catequese tem origem no sacramento do Batismo e se fortalece pela Confirmação, sacramentos mediante os quais ele participa do ‘ministério sacerdotal, profético e real’ de Cristo. A Igreja suscita e distingue esta vocação divina, e confere a missão de catequizar. Dessa forma, o Senhor Jesus convida homens e mulheres, de uma maneira especial, a segui-lo, mestre e formador de discípulos (Diretório Geral para a Catequese, nº 3 231). Nenhuma metodologia, por quanto possa ser experimentada, dispensa a pessoa do catequista em cada uma das fases do processo de catequese. O catequista é, intrinsecamente, um mediador que facilita a comunicação entre as pessoas e o mistério de Deus, e dos sujeitos entre si e com a comunidade. Em razão do seu sábio acompanhamento, o catequista realiza um dos mais preciosos serviços da ação catequética: ajuda os destinatários da catequese a distinguirem a vocação para a qual Deus nos chama” (Diretório Geral para a Catequese nº 156).

 

ARTIGO PRIMEIRO – DOS CATEQUISTAS NOVATOS

 

11) Para ser admitido como catequista novato é exigida a idade mínima de 18 (dezoito) anos completos, ou que serão completados até junho do ano da admissão, e que o mesmo tenha recebido o sacramento da crisma.

§1º.Considerando-se que nessa idade, tendo passado pela catequese e participado da vida de sua comunidade, já adquiriu base e maturidade, assimilando os compromissos exigidos pelos sacramentos de iniciação cristã.

§2º. O catequista novato deverá participar do curso para catequistas novatos, de acordo com a programação da Pastoral Catequética.

 

12) Após participar do curso de catequistas novatos e decidindo-se por abraçar a missão lhe será exigido:

1º.Compromisso nas atividades da Pastoral Catequética: Planejamento e Aprofundamento no 1º domingo de cada mês sendo obrigatória a presença de todos os catequistas e nas outras atividades durante o ano;

2º. Interessar-se na busca de conhecimentos, participando de estudos nas Comunidades, Paróquia ou Diocese;

3º. Fidelidade à linha pastoral paroquial e diocesana, respeitando as determinações da Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética e os temas propostos pela EPAC, ajudando assim a promover a unidade da pastoral;

4º. Participação semanal da Celebração Eucarística e Celebração da Palavra  em sua comunidade;

5º. Participação nas reuniões mensais como grupo de catequistas e coordenadores na sua comunidade;

6º. Assumir juntamente com os membros da Pastoral Familiar da comunidade os Encontros de Pais com Filhos na Catequese;

7º. Observar o critério de 25% de faltas anuais nas atividades da Pastoral Catequética (reunião mensal da comunidade, planejamento e aprofundamento mensal e demais atividades paroquiais), sabendo que na comunidade será cobrado pelo coordenador comunitário e no planejamento pela EPAC;

8º. Acatar as decisões da Coordenação Comunitária de Catequese discutidas nas reuniões mensais e extras;

9º. Participar do processo eletivo da coordenação da sua comunidade (votar );

10º. Conhecer e trabalhar o conteúdo de toda a catequese de forma gradativa, sendo assim, é aconselhável mudar de etapa a cada 02 anos;

11º. Respeitar as Normas da Pastoral Catequética de nossa Paróquia.

 

13) O catequista novato, desde que seja acompanhado por um catequista que já esteja em atividade, poderá atuar em todas as etapas exceto na 5ª, 9ª e Catecumenato.

 

14) Não é permitido na catequese nenhum tipo de monitoria, ou seja, pessoas que não tenham a idade permitida e nem receberam o Sacramento da Crisma como ajudantes de catequistas.

 

ARTIGO SEGUNDO – DOS CATEQUISTAS EM ATIVIDADE

 

15) Seguem os mesmos compromissos que os novatos:

1º. Compromisso nas atividades da Pastoral Catequética: Planejamento e aprofundamento no 1º domingo de cada mês sendo obrigatória a presença de todos os catequistas e nas outras atividades durante o ano;

2º. Interessar-se na busca de conhecimentos, participando de estudos nas Comunidades, Paróquia ou Diocese;

3º. Fidelidade à linha pastoral paroquial e diocesana, respeitando as determinações da coordenação paroquial da pastoral e os temas propostos pela EPAC, ajudando assim a promover a unidade da pastoral;

4º. Participação semanal da Celebração Eucarística e Celebração da Palavra em sua comunidade;

5º. Participação nas reuniões mensais como grupo de catequistas e coordenadores na sua comunidade;

6º. Assumir juntamente com os membros da Pastoral Familiar da comunidade os Encontros de Pais com Filhos na Catequese;

7º. Observar o critério de 25% de faltas anuais nas atividades da Pastoral Catequética (reunião mensal da comunidade, planejamento e aprofundamento mensal e demais atividades paroquiais), sabendo que na comunidade será cobrado pelo Coordenador Comunitário e no planejamento, pela EPAC;

8º. Acatar as decisões da Coordenação Comunitária discutidas em reuniões mensais e extras;

9º. Participar do processo eletivo da coordenação da sua comunidade (votar e ser votado);

10º. Conhecer e trabalhar o conteúdo de toda a catequese de forma gradativa, sendo assim, é aconselhável mudar de etapa a cada 02 anos;

11º. Ajudar a zelar pela identidade do grupo de e acompanhar os catequistas novatos;

12º. Respeitar as Normas da Pastoral Catequética de nossa Paróquia.

 

CAPÍTULO III – DOS COORDENADORES COMUNITÁRIOS

 

16) “A coordenação comunitária tem a finalidade de coordenar, animar e acompanhar o processo catequético nas bases” (cf. Livro da Caminhada, nº 50).

 

ARTIGO PRIMEIRO – DA ELEIÇÃO

 

17) Os Coordenadores Comunitários de Catequese são eleitos para um período de 02 (dois) anos. Não sendo permitida a reeleição.

§1º. As eleições acontecerão no final do ano e serão organizadas pela Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética.

§2º. Caso não atendam às necessidades da comunidade e os anseios dos catequistas, poderá ser convocada uma nova eleição. Neste caso, o grupo de catequistas deverá se reunir com a Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética para justificar o pedido.

 

18) Na impossibilidade de um dos Coordenadores Comunitários de Catequese terminar o seu mandato, o atual deverá promover a eleição de um outro para acompanhá-lo até a eleição seguinte.

 

19) As qualidades mínimas necessárias para a escolha dos Coordenadores Comunitários de Catequese são as seguintes:

1º. Ser catequistas há mais de 03 anos;

2º. Ter visão clara do objetivo e normas da catequese;

3º. Ter pontualidade nos compromissos;

4º. Ser alegre, comunicativo, dinâmico e animador;

5º. Se preocupar com a união do grupo;

6º. Saber conduzir uma reunião, estabelecendo sua duração e participação de todos os catequistas;

7º. Ter boa capacidade de organização

8º. Dar testemunho de uma vida coerente.

 

ARTIGO SEGUNDO – DAS ATRIBUIÇÕES

 

20) Compete aos Coordenadores Comunitários de Catequese:

1º. Coordenar as atividades da catequese em sua comunidade;

2º. Participar das reuniões do Conselho Pastoral Comunitário mensalmente representando a Pastoral Catequética;

3º. Elaborar pauta de reuniões, sendo o primeiro momento para estudo e o segundo para informes e encaminhamentos de ações. 4º. Eleger um (a) secretário (a).

5º. Manter em dia a Ata das reuniões da catequese comunitária, fazendo sempre a sua leitura nas reuniões, a mesma deve ser assinada por todos os presentes;

6º. Participar das reuniões mensais da Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética;

7º. Participar dos encontros e estudos de acordo com o calendário anual de atividades da catequese;

8º. Participar da preparação do Encontro de Pais com Filhos na Catequese no 1º domingo de cada mês;

9º. Acompanhar a participação dos catequistas nos encontros comunitários e paroquiais, levando em conta os 25% da faltas anuais;

10º. Manter sempre atualizada uma ficha com nome, filiação, endereço, desempenho, freqüência e situação sacramental de cada catequizando, facilitando o acompanhamento dos mesmos ao longo das etapas. Esta ficha funcionará como um histórico do catequizando e servirá para preencher o formulário em uma eventual transferência. Esta ficha deverá ser repassada para os futuros coordenadores no final de cada mandato;

11º. Manter sempre atualizada uma ficha com o nome, endereço completo, situação sacramental, data de aniversário de todos os catequistas da comunidade.

 

CAPÍTULO IV – DA EPAC - EQUIPE PAROQUIAL DE ANIMAÇÃO CATEQUÉTICA

 

21) A EPAC – Equipe Paroquial de Animação Catequética tem como finalidade principal elaborar os planos para os encontros semanais de catequese nas comunidades e fornecer material para aprofundamento sobres os temas destes encontros

§ 1º. Farão parte desta equipe membros da Pastoral Catequética paroquial que deverão:

1º. Serem indicados (a) pela Coordenação Paroquial bem como pela Coordenação Comunitária;

2º. Serem avaliados (a) pela EPAC e pela Coordenação Paroquial da Catequese;

3º. Serem catequistas no mínimo há 02 anos.

 

ARTIGO PRIMEIRO – DAS ATRIBUIÇÕES

 

22) Compete a Equipe Paroquial de Animação Catequética:

1º. Coordenar e animar todos os trabalhos da Pastoral Catequética, elaborando estudos, encontros para os catequistas, Coordenadores Comunitários, pais e catequizandos;

2º. Elaborar planos de encontro compatíveis com a etapa na qual trabalham;

3º. Ser fiel a linha pastoral paroquial e diocesana;

4º. Ter assiduidade nas reuniões e nos trabalhos da pastoral;

5º. Montar calendário anual de atividades da pastoral;

6º. Reestruturar o calendário de planejamento de encontros catequéticos quando houver novas exigências;

7º. Visitar periodicamente as comunidades, conforme escala anual;

8º. Zelar pela coesão e crescimento da equipe;

9º. Cuidar da formação de novos membros, realizando encontros para estudo da estrutura da Pastoral Catequética, bem como a metodologia e espiritualidade;

10º. Acompanhar a participação dos catequistas no primeiro domingo, cuidando da lista de presença;

 

23) Os membros da EPAC devem trabalhar em suas comunidades com as mesmas etapas nas quais são coordenadores;

 

24) Os membros da EPAC devem procurar conhecer e trabalhar o conteúdo de todas as etapas, sendo assim aconselhável que a cada 02 (dois) anos os coordenadores  troquem de etapa.

 

25) A EPAC deverá reunir-se mensalmente, ou conforme a necessidade, com a presença de todos os coordenadores etapas.

 

CAPÍTULO V – DA COORDENAÇÃO PAROQUIAL DA PASTORAL CATEQUÉTICA

 

26) “A Coordenação da Catequese não é um fato meramente estratégico, voltado para uma mais incisiva eficácia da ação evangelizadora, mas possui uma dimensão teológica de fundo. A sua ação evangelizadora deve ser bem coordenada porque ela visa a unidade da fé, a qual, por sua vez, sustenta todas as ações da Igreja”. (Diretório Geral para a Catequese, nº 272).

 

ARTIGO PRIMEIRO - DA SUA COMPOSIÇÃO

 

27) A Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética é composta por 02 membros eleitos por assembléia da Pastoral Catequética, mais o Padre que a assessora pastoralmente.

 

ARTIGO SEGUNDO – DAS ATRIBUIÇÕES

 

28) São atribuições da Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética:

1.            Coordenar as atividades da Pastoral Catequética na Paróquia, com a colaboração de toda a Equipe Paroquial de Animação Catequética e os Coordenadores Comunitários de Catequese;

2.            Promover eleição ou indicação de 01 (um) ou mais membros para representar a Pastoral Catequética no Conselho Pastoral Paroquial e na Equipe Regional de Animação Catequética da Região Pastoral III;

3.            Preparar a pauta de reuniões com os Coordenadores Comunitários da Catequese;

4.            Convocar a EPAC e ou Coordenadores Comunitários da Catequese em caso de reuniões extras;

5.            Fazer a eleição de m secretário que irá cuidar para que o caderno de atas esteja sempre atualizado, onde seja feita a leitura da mesma em cada reunião;

6.            Acompanhar a participação dos Coordenadores Comunitários nas reuniões, estudos e aprofundamentos promovidos pela pastoral.

 

ARTIGO TERCEIRO – DA ELEIÇÃO

 

29) A Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética é eleita para um período de 03 (três) anos.

 

30) Na impossibilidade de um dos coordenadores terminar o mandato, o atual deverá promover a eleição de um outro, para acompanhá-lo até a eleição seguinte.

 

31) Não é permitido a reeleição de nenhum dos membros da Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética.

 

32) Do processo eletivo participarão os Coordenadores Comunitários e os membros da EPAC, todos com direito a votar e serem votados.

 

CAPÍTULO VI – DAS ALTERAÇÕES DAS NORMAS

 

33) Estas normas só poderão ser alteradas mediante aprovação em assembléia, convocada especificamente para esse fim, que conte com a presença da Coordenação Paroquial da Pastoral Catequética, e dois terços dos Coordenadores Comunitários de Catequese e da EPAC da Paróquia São Geraldo.

 

34) As normas acima estabelecidas para a Pastoral Catequética derrogam as normas anteriores até então vigentes.

 

35) Estas normas entram em vigor a partir de 21 de outubro de 2007.

 

 
  Perdeu alguma matéria ou reportagem ? Precisa efetuar uma pesquisa sobre um determinado assunto ? Então faça uma busca aqui em nosso site
 
 
 

 

 
 

Catequistas do Regional 3 celebram Ação de Graças
Cerca de 1200 catequistas participaram, representando 22 paróquias

 


Encontro de Casais 2014
“Restaurados para Amar”

 


Futsal da Paróquia São Geraldo tem jogos acirrados
Os placares dos jogos ficaram apertados

 


Missa paroquial pelo Dia dos Catequistas
E disse Jesus: "Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens" MC 1,17.

 


Paróquias de Ipatinga encerram a Semana da Família no Parque Ipanema
Assunção de Nossa Senhora também foi celebrada no domingo dia 17

 


Encerramento da Semana da Família na Comunidade São Geraldo
Evento ocorreu no sábado dia 16

 


 
     
 
Paróquia São Geraldo

Av das Flores, nº 885 - Bairro Bom Jardim - Ipatinga/MG
Telefone / Fax: (31) 3826 5213 / 3825 7195